fbpx

Regiões do país com maior propensão a intempéries

Os habitantes das principais regiões com propensão a intempéries do país já estão acostumados a lidar com os danos e incômodos que estas situações geram no seu dia-a-dia. Seja por conta da seca ou dos constantes alagamentos, um grande número de pessoas é submetida à estes problemas causados por estas circunstâncias sem perspectiva de uma resolução definitiva para suas aflições.

Enquanto as secas são agravadas pelas mudanças climáticas, sobretudo no Nordeste, os governos locais pouco podem fazer para aumentar o conforto dos seus moradores e diminuir os impactos da falta de água na vida da população. Da mesma forma, as frequentes inundações são reflexo de agentes climáticos, falta de planejamento urbano e infra estrutura inadequada para escoamento das águas pluviais. Tudo isso gera grandes prejuízos ao patrimônio e bem-estar dos habitantes destas áreas.

Nada resta a não ser inovar e encontrar soluções por conta própria para proteger seu lar e sua família destes acontecimentos. Confira a seguir as principais regiões com propensão a intempéries no país e as repercussões negativas que estas circunstâncias podem provocar para os seus habitantes.

O problema da seca e desertificação

Os estados do Nordeste brasileiro são as regiões com propensão a intempéries que mais sofrem com a seca no país. Segundo estudos que monitoram a seca no Brasil, os estados mais atingidos por este problema são todos os estados da região Nordeste, além de Minas Gerais e Espírito Santo.

Diferente das estiagens, as secas são períodos prolongados de deficiência de chuvas, o que causa grave escassez de água para todas as atividades – inclusive para a alimentação e necessidades básicas de quem mora nestas áreas. Quando a situação se torna extrema, estes locais começam a entrar em processo de desertificação e deixam de ter vida. Atualmente, quase 5% do Nordeste já apresenta características de deserto.

As inundações e alagamentos

As inundações são problemas comuns em áreas próximas a rios, ao oceano e a outros corpos de água. Elas ocorrem quando o volume de água aumenta muito em um curto espaço de tempo, dificultando o escoamento, e podem ser desde bruscas e violentas enxurradas até alagamentos lentos em períodos de cheia.

As regiões com propensão a intempéries que apresentam os maiores problemas com a inundação são as áreas urbanas acidentadas, como no Rio de Janeiro, Belo Horizonte e São Paulo. É comum, também, que cidades ribeirinhas ou litorâneas construídas a cotas baixas como Recife sofram com alagamentos frequentes durante as chuvas, especialmente quando a maré está alta.

Amenizando o impacto

Nas regiões com propensão a intempéries do Nordeste, conviver com os danos que a escassez de água causa no seu ambiente e no seu bem-estar é uma dificuldade rotineira. No entanto, os habitantes das áreas que sofrem com a seca não estão sujeitos apenas a problemas de saúde relacionados diretamente à falta deste recurso.

A baixa umidade destes locais também faz com que a poeira seja um desafio comum para os cidadãos, que têm de lidar com a frequente entrada de partículas e sujeira para dentro dos seus ambientes através das frestas nas aberturas. Isto pode acarretar em diversos problemas respiratórios e alérgicos, além de gerar incômodo e exigir grande trabalho para manter os espaços limpos. Outro incômodo ocasionado pelo ambiente seco é o calor excessivo, que é frequentemente relacionado a disfunções cardíacas, quadros de desidratação e queda na pressão arterial.

As regiões com propensão a intempéries relacionadas a alagamentos, por sua vez, penam com os estragos que a água causa aos seus lares e construções. Além de danificar os móveis e avariar os eletrodomésticos, as inundações trazem várias sujeiras para o interior das casas e prédios, comprometendo a estrutura das edificações e manchando tudo o que toca.

Mais do que danos materiais, porém, os moradores destas áreas também têm de tomar cuidado com as doenças que a água suja pode causar. A contaminação de pessoas com doenças como Leptospirose, Hepatite e Febre Tifóide, por exemplo, é uma ocorrência comum para quem entra em contato com a água das enchentes.

O Vedaporta® Casagrande é uma solução desenhada para vedar as frestas das portas e evitar a passagem de sujeiras e animais para o interior da sua casa, podendo auxiliar os moradores de regiões com propensão a intempéries a protegerem seus lares. 

Importante lembrar que sua eficiência é voltada para a contenção da entrada da água no caso de chuvas fortes pela diminuição da área sob a porta e que no caso de alagamentos, a pressão da água excede a capacidade de estanqueidade, exigindo outro tipo de solução. 

Além de preservar a saúde da sua família, o Vedaporta também contribui para manter a temperatura interna do ambiente controlada, aumentando o conforto térmico e diminuindo gastos com ar-condicionado. 

Mantenha sua casa livre da poeira e da chuva, acesse o site da Gran Casa e encontre o nosso revendedor mais próximo de você.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn